date Duas Leitoras | Literatura e entretenimento: Junho 2016

30/06/2016

{Compras + recebidos} Maio/2016

30/06/2016
Oi, pessoas!
Tô com diversas postagens e leituras atrasadas, mas o fim do semestre está consumindo meu cérebro, meu tempo, meu oxigênio, minha vida, enfim...
Como sou uma pessoa muito chatinha com determinados posts, vim hoje correndo pra mostrar o que recebi no mês passado - não quis deixar pro "mês que vem" (amanhã, no caso). 

Compras e recebidos de maio/2016

No mês passado não comprei muitas coisas. Como dia 7 foi meu aniversário e no dia seguinte já era dia das mães, a maior parte do que vou mostrar aqui foi presente dessas datas.

24/06/2016

{Resenha} Caixa de pássaros - Josh Malerman

24/06/2016
Olá, pessoas!
Caixa de pássaros ficou na minha lista de desejados por um bom tempo, até que finalmente o consegui em uma troca no Skoob por apenas um crédito ♥ (mostrei no Book Haul de abril). Tive que furar a fila interminável de livros a serem lidos e não me arrependi nem por um segundo.

Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler.
Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas.
Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.




Malorie é a protagonista de Caixa de Pássaros e é a história dela que acompanhamos do início ao fim. A narrativa é intercalada entre presente e passado e quem acompanha o blog sabe que eu amo isso, pois deixa a história muito mais rica e instigante, além de tornar a leitura mais fluida.

Há alguns anos, um surto pandêmico começou a apavorar o mundo todo. Ninguém sabe ao certo do que se trata, mas todos os que se arriscaram a abrir os olhos fora de suas casas se suicidaram das piores formas imagináveis. Com o passar do tempo, também começaram a perceber que não tapar suas portas e janelas poderia ter um resultado catastrófico.

- Eles acham que não é seguro olhar para fora? Olhar para qualquer lugar?

Malorie está bem cética no começo, mas quando tudo o que se vê nos jornais são notícias sobre novas vítimas, quando ela mesma presencia um dos atos suicidas, não há mais como negar: algo está enlouquecendo o mundo e ela não sabe o que é, só sabe que precisa fugir. Mas pra onde?


Ao ler um aviso no jornal em que o dono de uma casa grande e com mantimentos chamava todos os sobreviventes para se juntar a ele, a protagonista se rende e dirige por quilômetros com os olhos vendados. O que deveria ser uma tarefa simples, concluída em minutos, acaba demorando horas e nos deixa apreensivos sobre o que pode acontecer a ela. O que há lá fora?

É um blecaute, pensa Malorie. O mundo, o exterior está sendo desligado.

Como que por um milagre, ela chega à tal casa onde já vivem outras cinco pessoas: Tom, Jules, Cheryl, Don e Felix, além de Victor, o cachorro de Jules. Cada um possui suas próprias personalidades e é perceptível o medo que sentem ao ver Malorie chegar. Ela viu alguma coisa? Como será dividir os mantimentos com mais uma pessoa? Para piorar, ela está grávida. Duas novas pessoas sob os cuidados deles. E como será o parto? O futuro é um grande ponto de interrogação que paira sobre a casa de número 273 da rua Shillingham.


A luta pela sobrevivência é diária e todos precisam fazer a sua parte para que tudo ocorra da melhor forma possível. Sair para buscar água com vendas nos olhos. Procurar mantimentos pelos quarteirões próximos se orientando apenas com bastões. Encontrar mais sobreviventes e se certificar de que não estão loucos.

Parece não haver esperanças de uma recuperação do mundo exterior, mas uma chamada telefônica muda tudo. Um convite que pode mudar tudo, basta que os moradores reúnam sua coragem para sair da casa e ir em busca de um lugar melhor. Isso é possível? 14 quilômetros em um barco, sem nenhum tipo de contato visual com o mundo é algo seguro a se fazer?

Apreensão, angústia e surpresa foram sentimentos que me acompanharam do início ao fim. Não esperava o final que teve, mas acredito que foi o melhor possível.


Em momento algum eu vi Caixa de pássaros como um livro de terror daqueles que nos faz tremer. Ele é, sim, um thriller psicológico muito bem construído que te faz sentir agonia juntamente com seus personagens, te faz pensar no que acontecerá a seguir e quem sobreviverá nessa loucura, mas medo não foi um sentimento vivido por mim durante a leitura.

Sendo assim, quem está evitando Caixa de pássaros por não querer dormir com as luzes acesas depois pode encará-lo sem receio. Por ser um livro de estreia, acredito que foi muito bem escrito.

Enquanto lia eu ficava imaginando o quanto seria bom se houvesse uma adaptação, e aí ao conversar com uns colegas sobre ele, descobri que realmente haverá o/

O trecho abaixo pode conter SPOILERS. Selecione para ler.

1) Por que justamente a Shannon olhou pra fora, se era ela quem estava mais histérica com tudo isso desde o início? Faria mais sentido Malorie olhar, já que ela é quem estava cética.

2) Um cordão umbilical é forte o suficiente pra aguentar o peso de uma mulher adulta? Essa morte não fez muito sentido pra mim.

3) O que diabos estava enlouquecendo as pessoas? Não tenho muitas teorias pra isso. Pássaros robôs alienígenas? Talvez esses pássaros nem sejam pássaros, afinal... quem tem teorias?

VEJA MAIS:
Resenha - Alameda dos pesadelos
Resenha - Um toque de morte

Avaliação:

20/06/2016

{Book Haul} Maio/2016

20/06/2016
Olá, pessoas!
Estou bem atrasadinha com esse (e outros) posts, mas juro que é culpa da faculdade! Ela está acabando com minha vida na blogosfera hahaha
Enfim, esse post vai ser bem rapidinho, diferente do que os Book Haul costumam ser.

pilha de livros novos

14/06/2016

{Resenha} Um toque de morte - Luiza Salazar

14/06/2016
Olá, pessoas!

Um toque de morte foi o segundo e-book que recebi na ação em parceria com a Editora Draco (o primeiro foi Inverso, da Karen Alvares), e tem uma premissa BEM diferente de tudo que já li.

Skoob|Amazon (gratuito no Kindle Unlimited)

SINOPSE: Pode me chamar de Kat. Eu daria tudo para ser apenas uma jovem universitária, preocupar-me com os assuntos discutidos nos trens, nos corredores das escolas, nas ruas: qual roupa vestir na festa, qual o futuro da política do país, quem vai ganhar o jogo esta noite. É, você entendeu.

Mas na minha cabeça só há espaço para uma preocupação: quem será a minha próxima vítima.

Eu sou uma Ceifadora. Isso significa que posso matar com um simples toque das mãos, um dom que desejava todos os dias não possuir. Mas quando aqueles dois estranhos apareceram na minha vida e fizeram tudo virar de pernas pro ar, comecei a entender que existem pessoas que fariam de tudo para controlar esse meu poder indesejável. Até mesmo me matar. É até irônico, né?

Um Toque de Morte é um romance fantástico de Luiza Salazar, uma aventura pelas sombras que se escondem nos becos da cidade.


Livros nacionais contemporâneos

Como se trata da história de uma garota que mata pessoas com o simples toque de sua mão, foi impossível não imaginar o rosto da Georgia Lass (da série A morte lhe cai bem) enquanto lia. Para Rebecca, a única amiga de Kat, eu imaginei o rosto da Alison DiLaurentis (série Pretty Little Liars), apesar da Becks ser bem boazinha, diferente da Ali. Acho que fiz essa relação entre elas por conta da aparência e do fato de ambas serem ricas e desligadas da família.
Ser uma Ceifadora significa que sou e sempre serei uma assassina, afinal foi a natureza que me fez assim, certo?
A história gira em torno de seres com "dons" e olhos violeta. Kat é uma Ceifadora (uma criatura rara) e possui o poder de matar aqueles em que toca. Outras criaturas que vão aparecendo ao decorrer da trama: Ilusionista - poder de penetrar na mente de quem quiser, manipulando sonhos e "arrancando" qualquer segredo ou pensamento; Ventríloquo - poder da persuasão. Pode comandar os outros de forma que façam o que ele bem entender; Deslocador - move pessoas e objetos apenas com o olhar ou movimentos das mãos, sem precisar tocar; Metamorfo - se transforma em animais (não entendi bem se em qualquer animal ou se cada um se transforma em apenas uma determinada espécie); Artista - pode desenvolver armas a partir do próprio sangue, desenhando-os em alguma superfície.

Pelo que me lembro, Intermediários não têm poderes. Eles não tomam partido de nenhum dos lados: nem da Legião nem da Ordem, e não podem interferir na escolha de quem é recrutado.Eles apenas podem "encaminhar" ou algo do tipo.
Katherine é orfã e descobriu seu poder com apenas 5 anos, de uma forma bem trágica. Aos 14, foge do orfanato em que vivia, conhece Becks e, aos 17, elas moram juntas há algum tempo. Ela é dona de um humor ácido e, apesar de morar com a amiga, não conversa sobre tudo e mantém diversos segredos, como o seu "dom" e o real serviço que desempenha no Noturno, o bar em que ela supostamente é bartender.
Todo mundo sabe que nós não fazemos perguntas e não ligamos para os motivos contanto que você possa pagar o que cobramos.

07/06/2016

{Debate do mês} Baixar livros de graça deve ser proibido?

07/06/2016
livros em pdf


Vocês notaram que ali na barra lateral tem uma enquete rolando? Pois é! É com base nela que teremos aqui mensalmente a nova coluna DEBATE DO MÊS. No mês passado, a pergunta era:

Downloads gratuitos de livros devem ser proibidos?

Essa é uma pergunta que me faço constantemente, pois é difícil chegar a um consenso. De um lado, há as editoras e autores que (teoricamente) perdem dinheiro com a prática. De outro, o custo de um livro nem sempre é acessível para algumas pessoas, outras nem mesmo querem gastar com livros.

Antes de qualquer coisa, gostaria que lessem o que encontrei sobre a prática:
Art. 184 - Violar direito autoral: (Redação dada pela Lei nº 6.895, de 17.12.1980)
§ 1º - Se a violação consistir em reprodução, por qualquer meio, com intuito de lucro, de obra intelectual, no todo ou em parte, sem a autorização expressa do autor ou de quem o represente, ou consistir na reprodução de fonograma ou videofonograma, sem autorização do produtor ou de quem o represente 
(Parágrafo acrescentado pela Lei nº 6.895, de 17.12.1980 e alterado pela Lei nº 8.635, de 16.3.1993)
O que eu entendi é que: de acordo com esse item do Código Penal, o simples fato de baixar um e-book gratuitamente não é crime. Disponibilizá-lo, também não (desde que seja feito de forma gratuita). Agora, obter lucro com a venda desses e-books, imprimir e vender etc são práticas ilegais, sim. 
(Não estou falando de uma Amazon da vida, que vende e-books mas possui vínculo com editoras e autores que ganharão com isso, ok?)

Posso estar falando bobeira, então se souberem de algo mais concreto, me corrijam. Isso foi o que eu entendi.

Quais os prós de baixar livros de graça?

"Degustação" da obra: muitas pessoas (estou entre elas, confesso) baixam o livro, leem e então decidem se querem comprar a versão física. Fiz isso com Os 13 Porquês e Uma curva no tempo. No primeiro caso, amei o livro e não sosseguei enquanto não comprei a versão física. Aliás, até comentei que foi o livro mais caro da minha estante. Já no segundo caso, não gostei tanto assim da leitura e decidi que não quero reler, portanto não há necessidade (para mim) de adquirir a versão física;


Maior visibilidade: continuando com o exemplo do livro Os 13 porquês, eu dificilmente pagaria tão caro nele sem saber o que encontraria. Minto. Eu NÃO pagaria caro nele sem saber o que encontraria. Assim sendo, o fato de eu ter lido o e-book fez com que eu fosse atrás da versão física;

Acesso para quem não tem condições: excluindo desse item as pessoas que realmente não querem pagar por livros, temos as que não tem condições de pagar por eles. Aí você pode me dizer: "mas existem as bibliotecas públicas! As escolas!" e eu te lembro que existem cidades tão pequenas que nem mesmo têm bibliotecas. Existem as cidades não tão pequenas e que tem bibliotecas, mas que são abandonadas. Existem escolas que mal têm livros didáticos, quem dirá de literatura. 

A realidade é dura para muitas pessoas, mesmo que muitos de nós ignoremos isso. Vivemos em um país onde a leitura já é BEM desvalorizada. Incentivar isso da forma que for já é um avanço;

Incentivo à leitura: há alguns dias uma amiga me disse que "gostaria de ser como eu, porque admira muito quem lê bastante". Começamos a conversar e comentei com ela que ela poderia iniciar nesse mundo a partir de e-books, pois ela pode ler quando estiver em uma fila, por exemplo. Assim ela vai passando o tempo e pode acabar se encantando com esse Universo.

Sejamos realistas, gente: uma pessoa que não tem costume de ler, que já tentou e não gostou (como é o caso da minha amiga) ou que ainda não encontrou o que gosta dificilmente vai pagar por um livro. Acho preferível que baixe-os de graça até descobrir o amor pela prática. Depois, com certeza investirão nas versões físicas, porque o sentimento de ter um livro em mãos é inigualável. 

Contras de baixar livros de graça:


Os autores podem se sentir desmotivados: ninguém trabalha de graça, gente. Escritores ganham pra escrever, muitos deles tiram seu sustento disso. Quando há muito download gratuito e pouca venda de livros, é natural que a motivação do autor vá diminuindo até, quem sabe, acabar. Digo que "podem se sentir" porque existem autores que são a favor da prática;

As editoras não abaixam os preços dos físicos: vamos ter em mente um ciclo que é muito comum no mercado editorial. Um livro é lançado com determinado preço. A tiragem esgota rapidamente. Há demanda. Os custos com a produção são pagos. O livro pode ser vendido a um valor mais baixo, visando apenas o lucro dessa vez. 

Se as pessoas começarem a baixar, baixar, baixar e deixar os livros físicos de lado, o que vai acontecer? Livros empacados no estoque. Claro que isso é difícil, pois os bookaholics amam ter a versão física em mãos, porém vamos combinar que o fato de haver a possibilidade de baixar livros de graça aumenta essa possibilidade, né?

Pode ser porque estou na correria e não tenho muito tempo pra pensar melhor sobre isso, mas não me vem a mente outras desvantagens da prática. Por favor, não deixem de comentar se lembrarem de outras!

Bem, aqui está o resultado da enquete:
baixar livros é crime
Como vocês podem ver, a esmagadora maioria (27 pessoas de 33 que votaram) acredita que a prática NÃO deve ser proibida, pois o acesso à cultura deve ser livre. Outras 5 acreditam que isso é crime. E uma pessoa ficou em cima do muro (como eu, rs).

E você, o que acha sobre baixar livros de graça? Ilegal? Alternativa para quem não tem acesso aos livros físicos?
Vamos debater, gente. Debates e discussões saudáveis são sempre bem-vindos!

Continue lendo para ver os resultados das últimas promoções

06/06/2016

Sorteio: Se eu fosse a Cinderela (com 3 ganhadores!) ♥ [ENCERRADO]

06/06/2016

Parceria boa é aquela em que todo mundo ganha não é mesmo? O autor e o blogueiro ganham divulgação, os dois viram amigos e todo mundo fica feliz. Mas e o leitor nesta hora? Ele não ganha? Fica esquecido? Não aqui! 
Pensando nisso, a autora Gislaine Oliveira se reuniu com as suas parceiras e juntas elas organizaram um sorteio muito especial. Neste sorteio, três leitores sortudos levarão para casa um presente muito especial. Você não vai ficar de fora, vai? 


REGULAMENTO: 
  • O sorteio ficará no ar a partir do dia 06/06 e se encerra no dia 09/07;
  • É necessário preencher as entradas obrigatórias do formulário; 
  • Na entrada "visite nossa página" é necessário que CURTAM a página, caso contrário a entrada não será válida;
  • Apenas as primeiras entradas são obrigatórias, as demais são opcionais, porém são chances a mais para você ganhar; 
  • É necessário ter um endereço de entrega em território brasileiro;
  • Os vencedores terão 48h para responder o e-mail, caso contrário, um novo sorteio será realizado; 
  • Os prêmios serão enviados em até 60 dias;
  • Os livros serão enviados pela autora Gislaine Oliveira, mas a mesma não tem qualquer responsabilidade por extravio ou perda por conta dos correios; 
  • Caso o livro retorne a autora, o mesmo poderá ser enviado novamente, mediante o pagamento do frete. 
a Rafflecopter giveaway

Participem, gente! Além de vocês ajudarem a divulgar a literatura nacional, vocês concorrem a esse livro fofíssimo que eu resenhei há alguns dias: Resenha de Se eu Fosse a Cinderela

03/06/2016

{Série} A morte lhe cai bem

03/06/2016
Olá, pessoas!
Hoje vim falar de uma série que eu assisti há alguns anos e atualmente estou revendo. O título nacional é A morte lhe cai bem e eu juro que não entendi por que ela teve uma audiência tão baixa a ponto de ter que ser cancelada com apenas duas temporadas. Lamentável :/

Série dead like me
Título original: Dead Like Me
Criada por: Bryan Fuller
Gênero: Comédia dramática
Temporadas: 2
Finalizada em: 2004

A série Dead like me ou, como é conhecida no Brasil, A morte lhe cai bem, tem como foco a garota Georgia Lass, que morreu quando um assento de vaso sanitário de uma estação espacial a atingiu em cheio. A partir desse momento, ela passa a ter como função retirar almas de pessoas que vão morrer, para que elas não sintam dor no fatídico momento. Ela então fica conhecida como "a garota do vaso".

George lass gif

Georgia é o mau humor em pessoa e enquanto estava viva não esboçava um sorriso sequer, era amargurada com tudo, abandonou a faculdade, não tinha emprego ou amigos e era bastante desligada da família. Quando morreu, sentiu que não tinha feito tudo o que queria e poderia e se arrependeu por isso. No entanto, ao decorrer dos episódios ela vai ficando cada vez mais ligada aos outros integrantes do grupo Pacific Northwest, integrada por outros ceifadores que possuem a mesma função que ela.
- Então... toda a minha vida, tudo o que me resta são as lembranças e memórias?
- É o que fica, fofinha.
A princípio, não sabemos como os outros personagens morreram. Essas informações só são sendo reveladas capítulo após capítulo e é uma morte mais bizarra que a outra. Até o momento, assisti os 10 primeiros episódios da primeira temporada. A única morte que ainda não foi revelada (ou eu não prestei atenção) é a do líder do grupo, Rube Sofer.

Acredito que "elenco" se encaixe melhor para falar dos atores que interpretam cada personagem, mas quero falar aqui única e exclusivamente dos personagens, mesmo:

Personagens de A morte lhe cai bem 
Rube Sofer: líder do grupo, age como um pai para todos os outros. É justo, inteligente, dono de um humor incrível e, por incrível que pareça, muito carinhoso. Ele sempre sabe o que os outros estão sentindo e passando e é empático da forma dele, apesar de ser um pouco cruel quando é conveniente;
- Eu queria uma carona.
- Tem duas lindas pernas. Use-as.
Roxy Harvey: além de ceifadora, ela também é uma agente de trânsito, pronta a aplicar multas em quem estaciona em locais proibidos ou excede o tempo limite de estacionamento. É fechada e no episódio em que descobrimos como ela morreu, descobrimos outra coisa muito importante sobre ela que eu não tinha percebido até então e que é o cerne da série;

Delores A morte lhe cai bem
"Você já acordou de manhã e percebeu que sua vida é totalmente sem sentido?"
Georgia Lass: inconformada com a sua morte, ela tenta exaustivas vezes entrar em contato com os membros de sua família, o que não dá muito certo (ou dá?); ela também demora a aprender a importância do trabalho que desempenha, o que causa muitos problemas. Para "ganhar a vida", tem um emprego detestável. Sim, mesmo os mortos precisam trabalhar para ter dinheiro pra comer e pagar as contas;

Daisy Adair: ela não aparece nos primeiros capítulos, mas assim que apareceu me fez detestá-la. Não consigo gostar dessa mulher, apesar de ela ter algumas atitudes louváveis (e outras nem tanto). Acho que eu sinto raiva dela por ter substituído uma personagem que eu gostava demais - vou falar dela abaixo;

Mason (só Mason mesmo): Mason, Mason... o que falar sobre ele? Ganha a vida das piores formas possíveis, é digno de desconfiança por conta de seu histórico mas é um amigo e tanto. Me fez rir inúmeras vezes com suas reflexões absurdas. É um fora da lei, mas não tem como não gostar.

Elenco de A morte lhe cai bem
Joy Lass: a amargurada mãe de Georgia sente-se culpada pela forma que tratava a filha antes de morrer, mas prefere fingir que está bem com a situação. De qualquer forma, é perceptível que sua sanidade está abandonando-a pouco a pouco;

Reggie Lass: era invisível para a irmã, mas sente tanto a sua falta que precisa de terapia para se recuperar do baque que foi perdê-la. Falta aulas, mente para os pais e - spoiler - rouba assentos de vasos sanitários para colocar em uma árvore (?) até agora não entendi essa atitude, mas cada um lida com o luto à sua maneira, né?;

Clancy Lass: não dá pra saber muito sobre ele, pois suas aparições são raras. Sabemos que ele ainda não superou a morte de Georgia, o que era de esperar. Sabemos também que ele e a filha tinham um relacionamento admirável quando ela era menor, mas um fato mudou tudo;

Delores Herbig: mulher detestável nos primeiros episódios, tragável ao decorrer deles e agora até que estou gostando dela!? Vejo-a como alguém que se recusa a desperdiçar qualquer segundo da sua vida ficando parada ou deixando as coisas pra depois. Tem alguma coisa sobre ela que ainda vou descobrir;
rebecca gayheart gif
"Cair é fácil, você só cai. Pular requer força de vontade."
Betty Rohmer: assim como Mason, é outra fora da lei. Ao contrário dele, faz tudo com cautela e esbanja glamour. Adora coisas luxuosas e não mede esforços para consegui-las. É engraçada e dona de um humor negro que me fez gargalhar diversas vezes. A morte dela foi a mais bonita, se é que posso falar assim. 

Além de ser uma série divertida, ela cumpre bem o seu papel de deixar lições sobre a vida e o que fazemos dela, principalmente o que deixamos de fazer. Mas se o pós-morte for como eles retratam, até que não é tão ruim, viu? 
O ser humano é um clichê simples e previsível. Desilusões amorosas, traição... tudo isso já aconteceu um milhão de vezes antes. O problema é que sempre que acontece, magoa como se fosse a primeira vez. E se você tiver a sorte de se recuperar, pode ter certeza que assim que cicatrizar a ferida, outra começará a abrir.
Outro ponto super positivo: nunca vi uma série tão bem dublada. As vozes se encaixam de maneira tão perfeita que você quase acredita que realmente pertencem aos atores. Não sou chegada a assistir séries dubladas (The Big Bang Theory dublado pode ser usado como técnica de tortura, aliás), mas para essa eu "tiro o meu chapéu".

Pra terminar, vou deixá-los com uma sábia reflexão do filósofo contemporâneo Mason (só Mason mesmo):
Frases de A morte lhe cai bem

E você, já assistiu? Ficou curioso (a)? Conta pra mim!

01/06/2016

{Resenha} Alameda dos pesadelos - Karen Alvares

01/06/2016
Olá, pessoas!
Depois de ler o livro Inverso, da Karen Alvares, fui atrás de saber mais sobre as obras dessa autora que me conquistou com seu jeito de escrever. Descobri que ela faz parceria com blogueiros e claro que me candidatei, rs. Em pouco tempo ela me enviou um e-mail com esse e-book maravilhoso, o Alameda dos Pesadelos.  

Não lembro em quanto tempo exatamente eu o li, sei que foram poucos dias. No momento já estou com três leituras em andamento, mas assim que possível pretendo solicitar as outras obras dela. Estou de olho especialmente em Horror em gotas.

Mas vamos à resenha de Alameda dos Pesadelos:

Skoob|Amazon (gratuito no Kindle Unlimited!)

Resenha de alameda dos pesadelos

O início do livro é lento, apenas nos dando as informações necessárias para que possamos entender todo o desenrolar da história. Ainda assim, em momento algum eu pensei em desistir da leitura, porque ela é instigante desde o começo. Muitas perguntas rondam a nossa mente desde a noite do acidente que a protagonista - Vívian - presencia. 

A partir daí, somos brindados com inúmeros mistérios e, quando parece que encontraremos ao menos uma resposta, não é nada daquilo que imaginamos. Uma trama muito bem elaborada que me fez não soltar do livro até que eu visse o 100% na barra de progresso de leitura. A protagonista passou por tantas situações e eu me sentia apreensiva principalmente por causa de seu filho, Lucas. Sentia medo que acontecesse algo com ele, dá pra acreditar? Pois é, foi o que Alameda dos pesadelos fez comigo...


O livro é narrado em primeira pessoa por Vívian e intercalada entre presente e passado. Quem me conhece sabe que AMO essas narrativas, pois elas enriquecem a obra e nos deixam ainda mais aflitos por respostas. O que aconteceu no passado que desencadeou os acontecimentos no presente? Essa é uma resposta que só temos perto do fim e, acreditem, me deixou de boca aberta!

A história é ambientada em São Paulo e estou cada vez mais acostumada aos nomes e locais brasileiros nas leituras que faço, o que eu acho ótimo! Antes eu não gostava nada de ler histórias nacionais (não me julguem) justamente por causa dos nomes e descrições de locais. Era apenas falta de costume. Agora eu adoro e sinto vontade de conhecer as cidades citadas ♥

Quanto aos personagens, o foco principal está em Vívian e Gabriel, um ex-namorado que aparece aonde não deveria. Ou deveria? Através da narração sobre o passado conhecemos um pouco de Joshua, outro ex-namorado da protagonista. O pai dela, Caetano, é amoroso e preocupa-se com o que está acontecendo com a filha, mas não sabe bem como ajudar.


Uma coisa que percebi lendo esses dois livros da Karen é que ela gosta de frases curtas. Gosto muito desse tipo de escrita, aliás dá pra perceber que também faço uso dela, né? Mas enfim, acredito que também faça parte do estilo da autora, o que garantiu um ponto a mais para ela. Linda ♥ outra coisa é que TUDO, absolutamente tudo tem um motivo. Ela não escreve "pra encher linguiça". Uma simples frase no início do livro terá sua importância revelada lá no fim, e você fica se perguntando "como eu não pensei nisso?"
"- Pense. Pense bem. Você vai descobrir. E quando descobrir, você vai perceber. Você vai se arrepender. Como todos nós nos arrependemos um dia."
Sabe aqueles livros que você termina de ler e conclui que ele foi um dos que mudaram a sua vida? Foi o que aconteceu comigo ao ler Alameda dos Pesadelos. Assim que terminei, ainda em prantos, enviei um e-mail para a Karen Alvares parabenizando-a e agradecendo por me proporcionar uma leitura tão prazerosa quanto essa. Se eu quero ler tudo dessa mulher? Sim, claro ou com certeza? 


Com esse livro eu chorei, sorri e, acima de tudo, me surpreendi. Ele não é exatamente o que eu esperava, mas pra ser honesta ele acabou sendo muito melhor! Abordou diversos assuntos que me interessam e em que acredito piamente e me levou a uma reflexão profunda sobre meus atos. Todo mundo deveria ler esse livro, mesmo que não faça seu estilo.

Infelizmente, a versão física da obra esgotou :( eu queria demais! Portanto, eu, a Karen Alvares e outros blogueiros vamos trabalhar juntos para que o livro seja relançado o/ e vocês, apoiam essa ideia? NECESSITO da versão física desse livro, minha gente! Ele é um favorito, não posso não tê-lo em mãos :(

Avaliação:

Em breve vocês poderão saber mais sobre a autora, aguardem ♥