date Duas Leitoras | Literatura e entretenimento: Agosto 2016

29/08/2016

{Resenha} Loui, o palhaço medonho... - Léo Otaciano e Matheuz Silva

29/08/2016
Olá, pessoas.
Como vocês sabem, o blog é parceiro da Editora Fonzie. Eles já haviam enviado os primeiros capítulos do Loui, o palhaço medonho e outros contos sombrios há algumas semanas e vocês podem conferir as Primeiras Impressões que tive.
Bom, esse mês recebi o livro físico e hoje conto pra vocês o que achei da obra no geral.


Autores: Léo Otaciano e Matheuz Silva|Editora Fonzie|Skoob|Avaliação: 3/5|Comprar

25/08/2016

{Resenha} Mr. X - A descoberta - Ana Freire e Pauliny Nunes

25/08/2016



Olá, pessoal!
Há alguns meses eu trouxe pra vocês a notícia que o blog fechou parceria com as autoras da Duologia Mr. X, lembram? Pois bem, na época elas me enviaram o arquivo digital do livro, que eu li bem rapidinho!
Recentemente recebi a edição física, portanto vim contar pra vocês o que eu achei dessa leitura.

O LANÇAMENTO OFICIAL DA OBRA ACONTECE AMANHÃ NA BIENAL DO LIVRO EM SP! NÃO PERCAM!

Um casamento que tinha tudo para dar certo. Esse é o casamento de Dália Penedo, que fez de tudo para conquistar o coração de Carlos Toledo e ter seu "felizes para sempre". 

Surpreendentemente, com o passar do tempo as coisas mudam e surgem novos e intensos sentimentos. Apesar de Dália amar seu marido, sua curiosidade a faz enveredar pelo perigoso mundo virtual, onde conhece Mr. X, um homem que arrebatará o coração da jovem. Agora Dália está dividida. Ama seu marido, mas está loucamente apaixonada por X. Essa é uma história real, onde as escolhas que ela faz podem mudar o seu futuro pra melhor... ou pra pior.


Título: Mr. X #1|Autoras: Ana Freire e Pauliny Nunes|Editora Chiado|Skoob|Avaliação: 4/5

21/08/2016

{Resenha} A garota do calendário Janeiro - Audrey Carlan

21/08/2016
Olá, pessoas!
O lançamento da série A garota do Calendário gerou um bafafá e tanto, né? Por incrível que pareça, resolvi não ficar alheia a isso - como ocorreu com Como eu era antes de você. Comprei os quatro primeiros livros da série e hoje vou contar o que achei do A garota do calendário - Janeiro.

capa do livro A garota do calendário janeiro

SINOPSE

Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal.
Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato.
A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil.
Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser...
Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele.
Título: A garota do calendário - Janeiro|Autora: Audrey Carlan|Editora Verus|Skoob|Avaliação: 4/5

20/08/2016

{Debate do mês} Livros físicos, digitais ou ambos?

20/08/2016
Olá, pessoas!
O debate do mês desse mês nem é bem um debate rs. É mais uma pesquisa de opinião, mesmo.
No mês passado, a enquete que eu fiz foi sobre a preferência dos leitores: livros físicos, digitais ou ambos?
Sabem que o resultado até que me surpreendeu? 


19/08/2016

{Resenha} Temporada de Acidentes - Moïra Fowley-Doyle

19/08/2016

 Temporada de acidentes

Guardem as facas, protejam as quinas dos móveis, não mexam com fogo.
A temporada de acidentes vai começar.
Acontece todo ano, na mesma época. Todo mês de outubro, inexplicavelmente, Cara e sua família se tornam vulneráveis a acidentes. Algumas vezes, são apenas cortes e arranhões. Em outras, acontecem coisas horríveis, como quando o pai e o tio dela morreram. A temporada de acidentes é um medo e uma obsessão. Faz parte da vida de Cara desde que ela se entende por gente. E esta promete ser uma das piores.
No meio de tudo, ainda há segredos de família e verdades dolorosas, que Cara está prestes a descobrir. Neste outubro, ela vai se apaixonar perdidamente e mergulhar fundo na origem sombria da temporada de acidentes. Por que, afinal, sua família foi amaldiçoada? E por que não conseguem se livrar desse mal?
Uma narrativa sombria, melancólica e intensa sobre uma família que precisa lidar com seus segredos e medos antes que eles a destruam.
Temporada de acidentes|Autora: Moïra Fowley-Doyle|Editora: Intrínseca|Skoob|Avaliação: 4/5

Desde que Temporada de acidentes foi lançado pela Intrínseca, fiquei doida para lê-lo! Ele tem uma proposta super diferente de tudo que eu já havia lido e eu estava com altas expectativas. Assim sendo, fiquei com um pouco de medo porque em 99% das vezes eu me decepciono - o que não aconteceu nesse caso. O livro tem de tudo: magia, romance, mistério, segredos, amizades incríveis, mais mistério, suspense... enfim, é um pacote completo!

16/08/2016

{TAG} Esse ou esse?

16/08/2016
Olá, pessoas.
Fui indicada pelo blog Oh My Livros para responder a TAG Esse ou esse, que é uma TAG que eu sempre via, gostava e não respondia porque não era indicada. Obrigada pela indicação!

Vamos lá para as regras:
  • Colocar o blog que te indicou no inicio do post;
  • O livro que dá inicio é o livro ganhador da pessoa que te indicou;
  • Seguindo a lista de livros indicados pela pessoa que te passou a Tag, você deverá ir escolhendo de acordo com a ordem: pode deixar o livro que lidera a batalha ou escolher a nova opção dada e abaixo explica, o porquê.
  • Uma vez que tenha o seu livro ganhador, escolha você sete livros e sete blogs para repassar a TAG.

12/08/2016

{Resenha} O vilarejo - Raphael Montes

12/08/2016

O vilarejo

Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.

As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.


Título: O vilarejo|Autor: Raphael Montes|Editora: Suma de Letras|Skoob|Avaliação: FAVORITO!

É difícil resenhar um livro de contos, ainda mais quando se trata de um que eu gostei tanto. De qualquer forma, espero que consigam entender a essência dele e se interessar pela leitura.

Ao ler o primeiro conto, que fala sobre Belzebu - fome -, achei que ele deveria ter ficado pro final. É que ele acaba soltando spoiler sobre os outros contos, já que eles não seguem uma ordem cronológica, mas no fim percebi que foi a melhor organização possível. Sobre esse conto, só o que eu tenho a dizer é: o que a fome é capaz de fazer com uma pessoa?

"O vilarejo vem sendo dizimado dia após dia. O luto sentou-se à mesa. Ninguém chora os mortos. Não podem desperdiçar energia lamentando a partida dos que não suportaram o frio e a fome."

O segundo conto, que fala sobre Leviathan - inveja -, fala um pouco sobre amor não correspondido, frieza (muita frieza) e claro, inveja. Em todos os sentidos e níveis possíveis.

O conto sobre Lúcifer - ira - apresenta descrições angustiante. Me fez lembrar de uma história que criei há alguns anos, que falava, basicamente, sobre ação e reação. As vezes, ao nos precipitarmos em relação a algo, acabamos fazendo com que aquilo realmente ocorra, embora não fosse acontecer se tivéssemos ficado em nosso canto. Deu pra entender? Haha bom, acho que lendo esse conto dará pra entender bem.

"O mundo não se resume a este vilarejo no meio do nada, sr. Ivan. Existem outras línguas. E outros tons de pele. O fato de sermos todos brancos, de olhos claros, não nos torna melhores ou piores."

Em Asmodeus - luxúria - temos um personagem que tem fetiche por mulheres gordas e o que ele faz por conta disso. Apenas em Belphegor - preguiça - descobrimos o que antecedeu a todo o frio, fome e desgraça do vilarejo. É um conto intimamente ligado ao Lúcifer.

Em Mammon - ganância - somos levados à uma reflexão e tanto. O dinheiro é assim tão importante? Mais importante do que a própria família? O que o dinheiro é capaz de fazer com uma pessoa?

"O que você veste é dinheiro. O que você come é dinheiro. Onde você dorme é dinheiro. Tudo, minha querida, tudo é dinheiro."

Por fim, o conto Satan - orgulho - foi o êxtase total! Ali é que tudo se explica, tudo se relaciona e "cai a ficha". Por conta da avidez que me dominou durante a leitura, acabei não prestando tanta atenção quando deveria. Dica: preste bem atenção desde o início e perceberá que "tudo está ali". Ainda assim, você pode achar que sabe de tudo, mas não sabe. Há tempos não lia um livro tão bom, tão bem escrito, com conexões tão perfeitas quanto O vilarejo.

"O pecado nos mata, meu caro Anatole. Não importa quanto tempo seja preciso. O pecado nos mata."

Antes de terminar, quero dizer que apesar de o início do livro "falar" que a ordem não importa, se ler Satan antes vai tirar toda a graça da coisa. De fato, os outros seis poderiam ser lidos em qualquer ordem, embora eu recomende que seja lido exatamente do jeito que é.
Ah, e quem tem medo de coisas sobrenaturais pode ficar despreocupado porque quem realmente assusta em O vilarejo não são fantasmas ou demônios, mas sim o próprio ser humano!

Acompanhe o blog nas redes sociais:

09/08/2016

{Divulgação} Nuccia De Cicco na Bienal do Livro SP

09/08/2016

Nuccia De Cicco na Bienal do Livro SP
Onde? Estande M-69 (a convite da Editora Illuminare) 
Quando? 31 de agosto

Sessão de autógrafos

Horário: 17 às 18hs – Pérolas da minha surdez


TÍTULO: Pérolas da minha surdez
AUTORA: Nuccia de Cicco
GÊNERO: não-ficção/autobiografia/memórias

SINOPSE
Música, buzina, despertador e então... silêncio. Como se acostumar a não ter som e precisar aprender a se comunicar novamente?
As pessoas dizem verdadeiras pérolas sobre surdez, pois a maioria desconhece o assunto. Não compreendem o que é lidar com a ausência de um sentido tão importante, algo que sempre teve, sempre fez parte da sua vida, até o perder. E, então, ter de reinventar todas as suas verdades.
Nesta obra, a autora narra experiências de sua vida após o diagnóstico de surdez total irreversível, buscando ampliar o (re)conhecimento sobre o tema na sociedade. São histórias singulares, divertidas e complicadas, sobre paixões, curiosidades, tecnologias, preconceito, aprendizado e, principalmente, luta e força de vontade.
Um livro que trilha o caminho em direção dos que almejam encontrar respeito aceitação e voz.
R$ 30,00 – kit com livro, marcadores, botton e chaveiro de mini-livro para os 30 primeiros.
Pagamento em espécie – para comprar com cartão, via PagSeguro, use o link para reserva!

Leia também: Resenha do livro Pérolas da minha surdez
Leia também: Melhores frases do livro Pérolas da minha surdez

Lançamento de antologia

Horário: 20 às 22hs - Antologia Ardente e Caliente



Antologia Ardente e Caliente (edição bilíngue: português e espanhol), com conto “Noite Insólita”
Venda: R$ 30,00 (livro + marcadores + brindes da editora)
Pagamento em espécie – para comprar com cartão, via PagSeguro, use o link para reserva!

TÍTULO DO CONTO: Noite insólita
GÊNERO: erótico

SINOPSE: Eles se conheciam há quase um ano apenas via ‘chat’ de uma rede social. Com o tempo, a conversa se aprofundou e o desejo cresceu. E então, ele teve de ir à cidade dela para um evento. Um conto cheio de sensualidade, “Noite Insólita” mostra como a tentação vence o receio e abre as portas à uma paixão. Mas será que uma única noite seria suficiente para consolidá-la?

QUOTES
1: “Enquanto se afastava, com as duas mãos tirou as chamas vermelhas que eram seus cabelos, soltos ao redor do pescoço, deu uma leve torcida e tentou aninha-los sobre o ombro esquerdo. Foi um gesto comum, cheio de simplicidade, porém deixou-o fascinado e expôs uma tatuagem logo atrás da orelha direita. Ele decidiu que seria bem ali o primeiro lugar onde sua língua a tocaria.”

2: “– Ainda temos o coquetel. Quer alguma coisa? (...)
− Quero várias coisas, mas você não pode me dar nenhuma delas aqui.”

3: “Em um rompante, empurrou-a de forma brusca até que as costas dela estivessem totalmente coladas à parede em frente à cama. Agarrou-a pelos pulsos, prendendo-os sobre sua cabeça, também colados na parede. Beijou-a como nunca antes, sem um pingo de romantismo, cheio de luxúria. A reação foi imediata: sentiu o quadril dela se projetar em sua direção, ao mesmo tempo em que sua língua correspondia aos beijos.”

RECADINHO DA NU!

Apesar de as sessões de autógrafo serem exclusivamente no dia 31/08, estarei na Bienal até sábado, então quem quiser falar comigo ou comprar o livro ou as 2 coisas, basta me contatar pelo Instagram (eu não uso o facebook no celular).

E aí, quem vai? Galera de SP: aproveiteeeeeeeem! Eu morro de raiva porque aqui onde moro não tem esses eventos :/

Acompanhe o blog nas redes sociais:

08/08/2016

{Filme} Deuses do Egito (2016)

08/08/2016

Com um elenco que conta com Gerard Butler e Nikolaj Coster-Waldau, Deuses do Egito é uma história sobre guerra, poder, vingança e amor. Sobretudo, amor.

05/08/2016

{TOP 5} Livros que eu gostaria de ver adaptados

05/08/2016
Olá, pessoas!
Por mais que as adaptações cinematográficas geralmente deixem a desejar, existem diversos livros que eu gostaria, sim, de ver adaptados. Escolhi 5 deles, mas tem muito mais! Alguns dos que escolhi estão em processo de produção de filme/série. Adivinha quais são?


04/08/2016

As melhores frases de Pérolas da minha surdez (Nuccia de Cicco)

04/08/2016
Olá, pessoas. 
Como vocês viram na resenha de Pérolas da minha surdez, foi uma leitura que gostei bastante e me fez refletir em vários momentos. Eu marquei diversas frases aqui no livro, mas se colocasse todas na resenha, ela ficaria muito extensa. Assim sendo, resolvi fazer essa postagem separada com as melhores frases de Pérolas da minha surdez.

Me desculpem pela qualidade das imagens, mas meu notebook estragou e tô tendo que usar o da minha mãe, então estou sem meu editor e fontes e tive que usar um da Internet, mesmo :/

"[...] escolhi continuar vivendo bem com o que me restou ao invés de parar a vida por causa daquilo que perdi."


03/08/2016

{Resenha} Quarto - Emma Donoghue

03/08/2016
Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o Quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la.

O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.
Título: Quarto|Autora: Emma Donoghue|Editora: Verus|Skoob|Avaliação: 3/5
Quarto não é a história de uma mulher que foi sequestrada ainda adolescente e acabou gerando um filho de seu abusador. Quarto é a história desse filho e sua relação com esse mundo que ele conhece e acredita ser o único existente, que pra mãe não passa de uma prisão.

Emma Donoghue livro Quarto

Dentro de um cubículo, a Mãe consegue diversificar a rotina do filho a tal ponto que ele acaba gostando daquilo, se apegando àquilo. Livros, brinquedos e brincadeiras estão mais presentes do que na vida de muitos que vivem no "Lá Fora" e isso me fez questionar: será que muitos de nós não estão vivendo em um Quarto, mesmo que no sentido figurado?
As pessoas também, bombeiros, professores, ladrões, bebês, santos, jogadores de futebol e gente de todo tipo, eles todos estão mesmo no Lá Fora. Mas eu não estou lá, eu e a Mãe, nós somos os únicos que não estão lá. Será que ainda somos reais?
No início, a narrativa é ágil até demais. Precisei me concentrar muito pra não me perder nos pensamentos de Jack. A linguagem é um pouco madura para a idade do narrador, apesar da pureza ser perceptível na forma com que ele trata os objetos que os rodeiam: como se fossem seres vivos, não meras "coisas". Um ponto positivo foi a escrita ser mantida como uma criança costuma falar no processo de  alfabetização: fazeu, mais maior, trazeu...

Jack possui a inocência que só as crianças possuem, mas ela é ainda mais acentuada porque, aos cinco anos de idade, absolutamente tudo é novo pra ele no Lá Fora, e entende o que lhe dizem de forma literal - muitas vezes sendo irritante, confesso. Jack demora a se acostumar com o mundo propriamente dito e se recusa a acreditar que aquele é seu lar, pedindo para voltar para o Quarto. Aqui também cabe uma reflexão acerca do comodismo a que muitos estamos habituados, preferindo ficar dentro de uma "caixa" a sair para o mundo, que nos causa medo e estranheza.
No Quarto a gente sabia como tudo se chamava, mas no mundo tem tanta coisas que as pessoas nem sabem os nomes.
Pude perceber que a fuga do Quarto foi um "divisor de águas", mas nem sempre da melhor forma. Antes, a Mãe era amorosa, atenciosa e tinha um cuidado extremo com Jack. Depois, ao se confrontar com questões antes não pensadas, entrevistas, curiosos e paparazzis, ela se torna relapsa e distante.

Quarto Emma Donoghue

Apesar dos pontos positivos, Quarto foi uma leitura arrastada, maçante. Demorei mais de um mês para concluir e, sinceramente, só concluí porque já estava perto do fim, ou teria abandonado. Se o livro tivesse pelo menos 50 páginas a menos, seria bem melhor. Descrições demais, repetições demais, em certo momento até perdeu o sentido.
No mundo, eu noto que as pessoas vivem quase sempre tensas e não têm tempo. Acho que o tempo é espalhado muito fino em cima do mundo todo [...] por isso só tem um tiquinho de tempo espalhado em cada lugar, e aí todo mundo tem que correr pro pedaço seguinte.
O fato de ser narrado única e exclusivamente por Jack foi, ao meu ver, um erro da autora. Um capítulo sob a perspectiva de Joy já teria deixado a obra mais interessante, mais rica. Quem sabe até mesmo capítulos voltando no tempo, antes do sequestro ou antes de Jack nascer, ou o ponto de vista do Velho Nick, não sei... em geral, não gosto de narrativas por um único ponto de vista e com esse livro não foi diferente.

E você aí, já leu? Assistiu ao filme? Achei a Mãe tão diferente no filme... estúpida, arrogante, sei lá... também não curti muito. Me contem o que acharam do livro/filme/resenha!

A garota do calendário sorteio
Acompanhe o blog nas redes sociais:

02/08/2016

TAG: Arrependimentos literários

02/08/2016
Olá, pessoas!
Nem todos sabem, mas o Duas Leitoras teve início em novembro de 2014. Um mês depois de ter sido criado, eu criei a TAG Arrependimentos Literários.

Leia: TAG Arrependimentos Literários

Há alguns dias comecei a lembrar dela e resolvi "jogar no Google". CARA, QUANTOS RESULTADOS <3 <3 fico feliz em ter sido a criadora de algo legal que propagou assim. Assim sendo, resolvi ressuscitar a TAG pra que mais gente conheça.



São 8 perguntas e muitas respostas mudaram, apesar de uma delas ter se mantido:

01/08/2016

{Resenha} Pérolas da minha surdez - Nuccia de Cicco

01/08/2016
Olá, pessoas.
No Book Haul de junho eu contei pra vocês que recebi o livro Pérolas da minha surdez, da autora parceira Nuccia de Cicco. Também contei que já estava lendo e que logo traria a resenha. Bem, aqui está ela:

Pérolas da minha surdez