date Duas Leitoras | Literatura e entretenimento: {Resenha} Juntando os pedaços - Jennifer Niven

24/04/2017

{Resenha} Juntando os pedaços - Jennifer Niven

24/04/2017
Título: Juntando os pedaços
Título original: Holding Up The Universe
Autora: Jennifer Niven
Editora: Seguinte
Ano: 2016
Páginas: 392
Skoob
Avaliação: 4/5
* livro do acervo pessoal da blogueira *
Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus amigos e familiares. Mas ninguém sabe disso — até o dia em que ele encontra a Libby. Libby é nova na escola. Ela passou os últimos anos em casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla improvável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro como ninguém antes tinha feito.

Ainda não li Por lugares incríveis, mas depois desse livro com certeza quero ler! Pela premissa, o outro tem tudo para ser ainda melhor.

Jack tem uma doença que o impede de reconhecer rostos, mas ninguém sabe disso - nem mesmo a sua família. Pense bem: você contaria isso, sabendo que pode ser agredido e depois não saberá dizer quem foi? Segundo o próprio livro, é uma doença muito mais comum do que parece, sendo que Brad Pitt já admitiu que é prosopagnósico, assim como há rumores de que Lewis Carroll era. Mas falemos de Juntando os pedaços.


Libby já foi considerada a menina mais gorda dos EUA, passou um tempão dentro de casa, sem frequentar a escola e até mesmo teve que ser retirada do seu quarto com um guindaste, mas depois de dietas e de perder 140kg ela resolve voltar a estudar. Já de cara tiram sarro dela e fazem uma brincadeira pra lá de sem graça, o que leva ela e Jack para a sala da direção.

Acontece que Jack justifica o seu ato impensado e, a partir daí, os dois começam a nutrir sentimentos um pelo outro, mesmo que todos digam que isso não dará certo. Aliás, eu mesma achava e torcia para que não desse certo, pois não consegui simpatizar com o Jack e acho que a Libby é areia demais pro caminhãozinho dele.

Com a narrativa intercalada entre os dois protagonistas, Juntando os pedaços é uma leitura rápida, mas nem sempre fácil. A doença de Jack é complicada, eu imagino, mas não consegui entender exatamente como ele (e outras pessoas) enxergam os rostos; já a dor de Libby é emocional, e por isso é mais fácil se identificar, se doer e torcer por ela.

O título traduzido faz muito mais sentido do que o original (Holding Up The Universe), pelo menos ao meu ver. Enquanto Jack precisa juntar os pedaços de um rosto e as marcas características de cada pessoa para se situar, Libby precisa juntar os pedaços de si mesma, se reerguendo mesmo diante de tantas dificuldades. 

“Meu amigo, preciso te dizer algo:
Você é amado. Você é importante. Você é luz. Você não é só mais um, você é único. Imperfeições e diferenças não te tornam um zero à esquerda. Você é maravilhoso. Incrível. Magnífico. Você brilha tanto, mas tanto, que nem mesmo a escuridão mais assustadora e obscura pode te ofuscar, a não ser que você permita. Me faça um favor? Não permita.
Você, eu, nós, fazemos diferença.”

Juntando os pedaços é um livro que fala sobre bullying, autoestima, aceitação, sobre como cada um de nós tem nossos próprios problemas apesar de fingirmos que não, sobre empatia, mas infelizmente pecou um pouco no desenvolvimento. Acredito que a autora poderia ter se aprofundado mais nos sentimentos de Jack e Libby, pois faltou emoção em suas palavras, faltou explorar o psicológico de ambos os protagonistas. Por conta disso, avaliei com 4 de 5 estrelas. Não é um livro que eu terminei pensando: que incrível, maravilhoso, vou guardar pra vida e reler sempre que possível (como eu pensei que seria).

A Seguinte fez um ótimo trabalho com a diagramação do livro, nos brindando com uma fonte confortável, páginas amareladas e simples, mas com seus detalhes em cada início de capítulo e listas criadas pelos personagens. Notei alguns poucos erros de revisão, nada que atrapalhe a leitura.



Para quem gosta de livros sobre bullying e aceitação, é uma boa pedida. Uma leitura fluida que pode ser feita em um dia. Além disso, gostei de conhecer esse distúrbio de que Jack sofre, pois acredito que nunca tinha ouvido falar. No entanto, aconselho que não vão com muita sede ao pote, ou podem se decepcionar com a falta de profundidade em alguns momentos.
POST VÁLIDO PARA O TOP COMENTARISTA DE ABRIL 
PARTICIPE ATÉ 02/05

19 comentários:

  1. Pelos teus posts anteriores sobre o livro também pensava que seria um livro arrebatador, uma pena que ele não foi tão profundo na parte emocional. Mas ainda sim um livro com assuntos importantes e com um personagem com uma doença que até então não conhecia, gostaria de acompanhar a leitura e saber como a autora desenvolveu isso.

    ResponderExcluir
  2. Oiii Kemmy, tudo bem?
    Eu fiquei apaixonada pela sua resenha menina, gostei muito das suas fotos e leria com toda certeza, porque eu quero saber como a personagem vai se comportar nos próximos capítulos, achei bem fascinante e envolvente.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Acredito que todos em algum momento teve problema com bullying. Porem tem períodos que preferimos não refletir sobre isso. Para mim no momento não seria uma boa leitura. Estou preferindo romance e suspense.

    ResponderExcluir
  4. Estou com esse livro na minha estante para ler, eu achei legal da parte da historia de envolver bullying que hoje é um tema bem falado e uma grande preocupação aos pais hoje em dia, acho que a historia tem muito a ensinar sobre aceitação mesmo que a autora tenha pecado um pouco.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Kemmy!
    Todo mundo fala dos livros da Niven e eu ainda não li nenhum, apesar de ter aqui Por Lugares Incríveis.
    Quero muito Juntando os Pedaços!
    E, realmente, o título ficou muito mais legal em português do que inglês, e olha que isso é raro de acontecer.
    Essa história parece ser muito emocionante e dura de ler, mas é necessária, né?
    :D

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com
    www.livrosdateca.com

    ResponderExcluir
  6. Kemmy!
    Temos visto muitos livros sobre bullying ultimamente e na minha opinião, quanto mais melhor, porque podemos discutir um pouco mais sobre um assunto que é tão importante.
    Aqui além disso, podemos conhecer uma nova doença e ver a diversidade dos protagonistas.
    Adorei e quero ler.
    “Preferi sempre a loucura das paixões à sabedoria da indiferença.” (Anatole France)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  7. Nunca ouvi falar nessa doença, mas geeeente, imagina conviver com isso! Acho que eu ia ficar meio pirada, não conseguir montar os rostos... o lado bom é ter outras estratégias pra reconhecer as pessoas. Em contrapartida o problema da menina também é complicado, afinal passamos por uma geração que prega a auto aceitação e ao mesmo tempo tem preconceito com pessoas acima do peso, o que deve criar uma total confusão na cabeça da pessoa. Gostei bastante da história, mas como disse, se lesse não ia esperar muito dela... o tema é bem diferente, fiquei curiosa sobre como a doença dele é tratada pelo autor e como ele descreve tudo em volta o.O

    Eu também tenho esses Gogos da Disney! Tão fofos, mas a Marie que é a mais lindinha eu não tenho haha

    Beijinhos
    http://tipsnconfessions.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Olá,

    Acompanhei o lançamento dessa obra e fiquei bem interessado em fazer a leitura dela, mas infelizmente até hoje não tive uma oportunidade. A sua resenha me animou bastante, até porque as suas impressões são diferentes das que conheço. Adorei! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, eu gostei muito desse livro, afinal sou bem suspeito pra falar, pois gosto da autora. Se você for ler esperando a mesma relação com Por lugares incriveis, você nota a diferença sim. Eu achei muito bacana essa forma de ela apresentar como o Jack ver pessoas. Lembro que nos capítulos narrados por ele quando tentava observar as marcas identificatórias, eu meio que sentia como era ver da mesma forma ou como era não ter certeza se era alguém que conhecia. Acho que pra vocÊ entender um pouco sobre a doença, tem que pesquisar mesmo, mas é basicamente: ele vê rostos, só não associa o rosto à pessoa, por isso ele "marca" coisas únicas, como sardas, cabelo, olho, tamanho, essas coisas.

    www.porredelivros.com

    ResponderExcluir
  10. Eu passei por este livro o inicio da semana na livraria. É uma história que quero ler por causa do tema abordado, mas mesmo assim sem muitas expectativas sabe? Adorei sua crítica e sua sinceridade na resenha

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá! Ainda não conhecia esse livro mas tem uma temática que vale a pena ser discutida e compartilhada. Bullying é assunto sério. Tendo oportunidade, estarei lendo também, bjooo

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Tenho muita curiosidade em fazer a leitura dessa obra, ois é um tema muito atual e bem difícil. Ainda não li nada da autora, mas tenho o livro Por Lugares Incríveis e pretendo ler em breve.
    Ótima resenha.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Nossa, esse livro é muito mais interessante do que eu poderia imaginar.
    Confesso que logo que o vi entre os lançamentos da editora, eu imaginava algo sem graça, talvez por eu ter me detido à capa e não ter buscado maiores informações, acabei fazendo mal julgamento da obra.

    Mas fico contente por ter lido sua resenha, pois mudei totalmente a minha opinião sobre a história, que aparentemente tem tudo para me agradar.

    ResponderExcluir
  14. Oiii!
    Quero muito ler o livro, mas não estou com tanta expectativa. O maior fato do meu interesse é pelo distúrbio do Jack, fiquei muito curiosa.
    Os outros temas abordados também são legais, mas fiquei desanimada pelo fato de não ter tanta profundidade.
    Ótima resenha, bjs!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Kemmy!!
    Li esse livro em dois dias e também essa falta de profundida em alguns momentos da leitura, achei bem diferente a doença do Jack da qual grande parte da população não conhece, mesmo assim foi uma boa leitura e agora quero muito ler Por lugares incríveis.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  16. Oie
    ai ja adorewi e quero ler o livro, fala sobre bullying e aceitação é para mim haha sempre amei ler e saber mais sobre os assuntos e vi muitos elogios ao livro então minha ansiedade esta grande

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Hey!

    Eu já tinha ouvido falar do livro, ele parece ser realmente incrível, sua resenha me despertou muito para a leitura. Achei bem interessante o fato de um dos personagens não reconhecer rostos, deve ser mesmo muito complicado, dica super anotada.

    Bjos.

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem?
    Achei este livro muito fofo <3 Deve ter sido uma leitura muito legal e leve. (Adorei a parte que vc disse que a Libby era areia demais para o caminhãozinho dele).
    Amei a sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  19. Não li nada da autora, mas vou começar pelo Por lugares incríveis que é o que já tenho aqui, autografado ainda por cima... Rs...
    Pena que nesse faltou profundidade principalmente nos sentimentos de Jack e Libby, isso é algo que pode tornar a leitura complicada para mim. Se eu amar o outro livro de repente me arrisco, mas vai levar um tempo porque estou meio cansada de livros que abordam bullying.

    ResponderExcluir

Os comentários passam por moderação, pois são todos lidos com muito carinho.

Ultimamente não tenho conseguido responder, mas retribuo as visitas de todos que deixam os links ao final do comentário. Beijos!