date Duas Leitoras | Literatura e entretenimento: Setembro 2017

28/09/2017

Envios de prêmios!

28/09/2017
Olá, pessoas!
Passando muito rápido só pra dizer que os envios de TODOS os prêmios que estavam atrasados foram feitos.


Seguem os códigos de rastreio:

Lívia Lima - Para sempre e Nós (SORTEIO ATÉ 1000 SEGUIDORES)
JN005150228BR

Luciane Eleoteria - Júlia, afinal existem príncipes encantados! (SORTEIO ATÉ 1000 SEGUIDORES)
JN005150231BR

Aline Santos -  Confissões de adolescente (ANIVERSÁRIO UMA MÃE LEITORA)
JN005150259BR

Natalí Marques -  Bel Canto (ANIVERSÁRIO MILKSHAKE DE PALAVRAS)
JN005150262BR

Maria Alves - Se eu fosse a Cinderela (ANIVERSÁRIO CANTINHO CULT)
JN005150245BR

Kits de marcadores para Maristela Rezende, Taiane de Sá e Larissa Dutra: carta simples sem registro. Demora um pouco mais, MAS CHEGA!

Quero pedir desculpas às vencedoras e às organizadoras dos sorteios de aniversário e principalmente agradecer quem teve a paciência de esperar, mas a vida adulta é uma coisa que não pede licença pra gente, não. Mesmo com dificuldades eu jamais deixaria de fazer os envios, mesmo que demorasse.

Obrigada a todas! Logo logo o blog estará de volta ♥

26/09/2017

Um brinde...

26/09/2017

Relacionar-se afetivamente nos tempos de hoje tem se tornado uma eterna fuga de futilidades; o quão nos faz bem ver um casal que demonstra seu amor na essência, na simplicidade e nos gestos puros de quem não se importa com o mundo ao redor, pois encontrou a quem a amar, pois encontrou o porto seguro onde pode se ancorar, mas também encontrou a quem pode navegar junto ao sabor dos ventos da vida.

Vivemos numa incansável busca de alguém para amar, porém muitas são as vezes que buscamos o amor apenas nas aparências, no que o outro pode nos oferecer física ou momentaneamente, nas baladas, nos jantares, nas viagens, nos rostos e corpos bonitos que desfilam pelas ruas como se não houvesse ninguém melhor, como se nada os pudesse abalar.

Nos acorrentamos à aparências e nos impedimos de viver bons momentos ao lado de pessoas pelo medo do que os outros estarão pensando sobre isso, omitimos os bons momentos que partilhamos pelo medo da língua alheia, não demonstramos o que sentimos verdadeiramente pelo simples fato de passar verdade nisso, pois não queremos nos "aprisionar" a alguém que nos faz bem; precisamos continuar buscando aquele que nem nos nota, aquele que tem o rosto ou o corpo mais bonito, que tem o melhor carro, o melhor emprego, as melhores amizades, frequenta os mais caros e badalados lugares, pois é claro, buscamos alguém para colocar na vitrine e expor por aí, afinal não devemos “usar” qualquer coisa.

Vamos para as baladas e saímos na caça dos rostos mais interessantes e nas melhores pegadas, ao chegar em casa nos deparamos com um saldo muitas vezes super positivo: seis ou sete beijos diferentes, vários perfumes na roupa, vagas lembranças dos rostos ou sequer dos nomes. No dia seguinte sequer uma mensagem de “bom dia”, pois estávamos muito mais preocupados com os corpos não é mesmo? Nas nossas “notificações” há sempre um carinho daquele se preocupa conosco e nos quer ver bem, e nós muito bem ignoramos ou friamente respondemos, pois por mais que o ser nos faça bem, não podemos dar o braço a torcer para o sentimento.

Um brinde à futilidade, à frieza, às aparências e a todos nós que vivemos disso!

Que percebamos logo que não precisamos de ninguém para por em vitrines, mas sim para por em nossos corações e nossas vidas. Que não nos relacionamos com os outros para nos fazer felizes, mas sim para tornar o outro feliz e nos contagiarmos com isso.