date Duas Leitoras | Literatura e entretenimento

03/04/2018

Te digo Obrigado!

03/04/2018
“O que você diria para a última pessoa que machucou o seu coração?”

Confesso que refleti um bom tempo sobre essa questão e muitas foram as frases de ódio, rancor e ranço que vieram a mente em um primeiro momento. Dissipar o mal é sempre muito mais fácil do que disseminar amor e energias positivas.
Também me questionei muito sobre o fato desses machucados terem sido reflexo das expectativas que eu mesmo depositei em pessoas que não tinham nenhuma, repito, NENHUMA, obrigação de correspondê-las.
A facilidade de culpar o outro pelas nossas feridas traz a nós a paz momentânea que precisamos para tentar esquecer aquilo que tanto nos feriu, porém esquecemos que o fato de que essas marcas sempre estarão por lá, prontas para virem à tona no primeiro momento que você encontrar àquele que você julga ter te machucado.
Depositar a cura de uma ferida na responsabilidade de outro a ter causado é um dos piores erros que estamos fadados a cometer.
Te desafio a agradecer. Está preparado? 
Pois é, nem eu estava, porém, foi uma das melhores atitudes que tomei e é o que tento fazer para curar grande parte das feridas que carrego comigo.
Diga obrigado a pessoa que te feriu por ela ter te tornado alguém mais forte.
Diga obrigado para a pessoa que te decepcionou por ter te ensinado a não depositar suas expectativas em quem não ter o dever de correspondê-las.
Diga obrigado a quem te traiu por te ensinar que pessoas são falhas e podem errar.
Diga obrigado a quem partiu por te ensinar que tudo pode ter um fim.
Diga obrigado para aquela pessoa ser quem é e por ter te tornado quem você é hoje.

“Muito obrigado por ser quem você é!”


Agradeça e recomece, ainda há tempo...











21/01/2018

Bota a cara no sol!

21/01/2018

Hey, quantas vezes vocês já ouviu ou usou essa expressão? Mas quantas vezes você a utilizou?

Olha....se a resposta foi nunca, principalmente para a última pergunta pode estar na hora de pegar um bronze e se jogar na vida!

Saia de trás das máscaras, das fantasias, das velhas roupas que já não lhe servem mais, saia do armário, do closet, deixa de lado esse cheiro de naftalina, saia de onde estiver e viva como se ninguém estivesse te olhando, e se estiverem, faça disso a plateia do palco da sua vida colega!

Seja hétero, homo, homem, mulher ou qualquer outro gênero, desprenda-se dos seus pré-conceitos com a sua própria aparência, desprenda-se dos seus tabus, dos seus mitos, dos seus medos, encontre alguém para amar, e que esse alguém seja antes de tudo e de todos, VOCÊ mesmo!

Permita-se viver o que só você pode viver, permita-se navegar em novos mares, enfrentar tormentas e temporais, permita-se ser bússola para descobrir os novos rumos a tomar. Permita-se ser âncora para saber onde ficar e para não perder a essência que só você tem.

Bota esse sorriso na cara, ame seu corpo, ame sua vida, se joga na pista, dance, rebole, desça até o chão, cante, grite, chore, respira, inspira e não pira! 

Bota a cara no sol colega e viva, pois a vida é uma só e não estamos aqui pra brincadeira!



08/12/2017

{Sorteio} Natal com Literatura Nacional

08/12/2017

07/12/2017

{Resenha} Apenas viva sem mim - Maria Eduarda Duarte

07/12/2017
apenas viva sem mim livro nacional resenha

Título: Apenas viva sem mim
Autora: 
Maria Eduarda Duarte
Editora: Xeque-Matte
Ano: 2017
Páginas: 111
Skoob
Avaliação:
2 / 5 😐

O jovem casal Andrew e Maryui eram perfeitos, aos olhos de todos. Tinham uma ligação esplêndida, ambos faziam tudo um para o outro. Mas, acidentes acontecem. E são capazes de transformar o mundo, ou pelo menos, o mundo específico de alguém. Quando tudo é alterado em uma noite simplória de sábado, as chamas consomem o amor existente restando só culpa, medo e desconfiança entre o que é visto e o que é a verdade absoluta. Cabe a Andrew, então, recuperar-se das queimaduras e encontrar a realidade em seus sentimentos pela esposa, mas ele acaba adentrando no mundo obscuro de Maryui – e isso pode o levar à ruína.

A sinopse já explica bem a trama, só quero adicionar aqui que a história é narrada sob o ponto de vista de Andrew, em primeira pessoa. Ainda assim, não consegui me conectar com o personagem e muito menos com Maryui (que até agora eu não sei como pronuncia).
Aliás, essa foi uma coisa que me incomodou bastante: o uso de nomes "americanizados", sendo que existem tantos nomes brasileiros bonitos.


Maryui e Andrew são um casal fofo que têm a vida modificada por um acidente grave. Não sabemos o motivo de ter ocorrido, não fica claro como ele acontece, mas é em torno dele que a história gira. A partir do momento em que esse acidente ocorre o casal fofo deixa de existir e então tudo vira em briga, raiva, ignorância e até mesmo agressividade.

apenas viva sem mim editora xeque-matte

Após o tal acidente, Andrew fica com os sentimentos divididos naquela coisa irritante de "te amo, mas não te quero" "te odeio, mas te amo" "te odeio, volta pra mim", sabem? Ele passa basicamente 90% da trama nessa enrolação e em vez de isso me deixar curiosa para entender o que estava acontecendo acabou me deixando com raiva e frustrada.

Por sorte, temos, além da narração de Andrew, alguns relatos encontrados em um diário de Maryui que são mais interessantes que essa enrolação dele, e é assim que vamos juntando as peças sobre o que realmente está acontecendo com o casal que costumava ser tão unido. Além disso, podemos conhecer um pouco mais da personagem, seu passado e sentimentos, embora eles sejam ofuscados pela doença da mesma.

O final pode ser uma surpresa para algumas pessoas, mas particularmente eu já tinha cogitado a possibilidade muito antes do desfecho, nos primeiros capítulos da trama, portanto não foi um fim surpreendente pra mim.

Enfim, a história é super curtinha mas ainda assim eu demorei a terminar de ler simplesmente porque não conseguia me sentir motivada a continuar. Nas primeiras 35 páginas há muita repetição, parece que tudo o que estou lendo eu acabei de ler em outras páginas, mas com outras palavras. O restante é confuso, não dá pra saber exatamente o que é real e o que é alucinação dos personagens - e é por isso que até mesmo a resenha ficou confusa.

resenha de apenas viva sem mim

Ok, mas se o livro me deixou tão frustrada assim, por que eu não avaliei com 0 ou 1?
Bom, há algumas frases muito boas no livro sobre o amor que não dá certo, sobre se livrar do passado e seguir em frente. Frases que me fizeram refletir e isso é algo que sempre procuro em um livro.

Apesar disso, a ideia da autora foi bacana, mas mal executada. Senti que faltou história, faltou um melhor desenvolvimento de tudo que estava sendo "jogado" na nossa cara, mas considerando que esse é um romance de estreia, só posso desejar que a autora amadureça essas questões citadas, porque ela não escreve mal.

28/09/2017

Envios de prêmios!

28/09/2017
Olá, pessoas!
Passando muito rápido só pra dizer que os envios de TODOS os prêmios que estavam atrasados foram feitos.


Seguem os códigos de rastreio:

Lívia Lima - Para sempre e Nós (SORTEIO ATÉ 1000 SEGUIDORES)
JN005150228BR

Luciane Eleoteria - Júlia, afinal existem príncipes encantados! (SORTEIO ATÉ 1000 SEGUIDORES)
JN005150231BR

Aline Santos -  Confissões de adolescente (ANIVERSÁRIO UMA MÃE LEITORA)
JN005150259BR

Natalí Marques -  Bel Canto (ANIVERSÁRIO MILKSHAKE DE PALAVRAS)
JN005150262BR

Maria Alves - Se eu fosse a Cinderela (ANIVERSÁRIO CANTINHO CULT)
JN005150245BR

Kits de marcadores para Maristela Rezende, Taiane de Sá e Larissa Dutra: carta simples sem registro. Demora um pouco mais, MAS CHEGA!

Quero pedir desculpas às vencedoras e às organizadoras dos sorteios de aniversário e principalmente agradecer quem teve a paciência de esperar, mas a vida adulta é uma coisa que não pede licença pra gente, não. Mesmo com dificuldades eu jamais deixaria de fazer os envios, mesmo que demorasse.

Obrigada a todas! Logo logo o blog estará de volta ♥